0

Enrolados



O Animatoons nunca foi de analisar filmes, mas uma ocasião como o lançamento de Enrolados definitivamente merece uma review. O filme, que hoje totaliza $177 milhões de dólares somente nos EUA e $356 ao redor do mundo (expectativas otimistas apostam numa arrecadação final de $500 milhões), já é o maior sucesso dos Estúdios Disney nos últimos 15 anos e deve salvar o gênero de contos de fadas no estúdio, que estava em baixa com o fraco desempenho de A PRINCESA E O SAPO nas bilheterias em 2009.
“Quando o bandido mais procurado do reino – e também o mais charmoso – Flynn Rider (voz de Zachary Levi) se esconde em uma misteriosa torre, ele se torna refém de Rapunzel (voz de Mandy Moore), uma bela e mal-humorada adolescente que vive presa na torre com seus mais de 21 metros de mágicos cabelos dourados. A curiosa captora de Flynn, que está procurando um meio de sair da torre onde está trancada há anos, faz um acordo com o belo ladrão e a dupla improvável parte em uma fuga repleta de ação, junto com um supercavalo policial, um camaleão superprotetor e um bando de criminosos beberrões”. 
ENROLADOS chama a atenção por ser diferente de qualquer outro filme CGI já produzido. Primeiro por ser um conto de fadas, segundo pelos seus visuais estonteantes – Que vão desde as árvores e gramíneas, passando pelas águas da represa até o magnífico cabelo da Rapunzel (que dispensa comentários pela sua perfeição).
Associados ao visual do filme, estão alguns dos personagens mais carismáticos que o estúdio já criou: A começar pela Rapunzel, que é uma das melhores heroínas do grupo das princesas. Rapunzel tem a doçura de Branca de Neve, Cinderela e Aurora (basta lembrar da cena em que ela conquista Maximus), a vivacidade de Ariel (que sem dúvidas é a princesa com quem mais se parece), a inteligência e esperteza de Bela e a imponência de Jasmine, Mulan e Pocahontas. A mocinha é definitivamente muito diferente de Tiana – A última princesa do estúdio, que é submetida a um mundo muito menos “conto de fadas” do que a Rapunzel. Se Tiana conquistou o mérito de se tornar a heroína mais “real” do estúdio, adequando-se ao século 21, Rapunzel poderia perfeitamente ter sido criada na década de 1950, o que faz com que ela perca alguns pontos se comparada a Tiana. Além disso, a princesa de Nova Orleans conduz a sua história bem mais ativamente do que a princesa de cabelos longos (talvez porque esta tenha perdido um bom tempo de tela para o ladrão Flynn Rider).
Falando em Flynn Rider… O herói (?) do filme foi uma boa adição á história, mas os maneirismos sedutores do protagonista não foram tão bem explorados quanto os de Naveen, o “sapo” do último conto de fadas do estúdio. Flynn é mais humano, mais real, mais ativo e mais carismático, mas não tão engraçado quanto Naveen. Se bem que essa é uma batalha bem injusta, já que o pobre ladrão pagou TODOS OS SEUS PECADOS ao receber a infeliz voz de Luciano Huck, que mesmo tendo a voz mais irritante e desagradável da TV brasileira, achou que seria bonitinho dublar um desenho para seus filhinhos baterem palmas. Se bem que os coitados devem ter tido vergonha do mico que o papai pagou tentando se passar por ator. O trabalho de Luciano Huck fica ainda mais zoado quando escutamos ao lado da dublagem de Sylvia Salustti, que fez um ótimo trabalho como Rapunzel. Enfim, uma opinião tão unânime quanto “O LUCIANO HUCK NÃO DEVERIA TER DUBLADO FLYNN RIDER” não precisa de mais linhas do que isso.
Ao contrário do Luciano Huck, a ATRIZ Gottsha defendeu muito bem sua personagem, a vilã Gothel. Suas tiradas irônicas e repentinas mudanças de humor são um dos maiores destaques de ENROLADOS. Embora eu particularmente prefira as vilãs que o próprio Walt criou (A Rainha Má de BRANCA DE NEVE, Lady Tremaine de CINDERELA, Malévola de A BELA ADORMECIDA e Cruela de 101 DÁLMATAS), acredito que Gothel é uma adição á altura desse grupo.
O casting de coadjuvantes também foi uma grata surpresa, e embora Pascal, Maximus e os Brutamontes tenham sido brilhantes, não dá pra negar que o camaleão roubou todas as cenas em que apareceu e que é o melhor personagem criado em pantonímia para filmes animados (superando o cômico Meeko de POCAHONTAS). Nesse quesito, ENROLADOS ficou MUITO á frente de A PRINCESA E O SAPO, que tem dois dos piores coadjuvantes da história da Disney – O irritante vagalume Ray e o
insosso crocodilo Louis.
O roteiro com a sacada da relação entre o cabelo de Rapunzel a flor mágica também foi espetacular. O filme tem seus atos bem definidos e isso o tornou ainda mais prazeroso. Lamento não poder comentar tanto quanto gostaria sobre o clímax do filme (já que não quero estragar as surpresas de quem ainda não viu), mas asseguro que é de longe o melhor e mais emocionante clímax para um filme do estúdio desde A PEQUENA SEREIA.
Com tantas qualidades, ENROLADOS investe todos os seus erros na trilha sonora. Quem viu A PRINCESA E O SAPO e esperava outro grande musical, quebrou a cara. Depois de lançar um filme com uma das melhores trilhas sonoras da história da animação, com espetáculos como “Down In New Orleans” e “Almost There”, ficou até feio pro Alan Menken lançar uma trilha tão sem graça e sem emoção como a de ENROLADOS. Mesmo assim, é interessante ver os momentos em que o filme lembra os musicais da década de 1990 (quem não se lembrou da reprise de “Belle” na reprise de “When will my life begin”?). O único grande momento da trilha é a música “I See the Light”, que mesmo assim não tem nada de espetacular.
Como consideração final, gostaria de destacar que ENROLADOS começa bem, mas só começa a empolgar de verdade depois que a dupla de protagonistas sai do bar “Patinho Fofo” – Ao contrário de A PRINCESA E O SAPO, cuja magia está toda concentrada no primeiro ato.
ENROLADOS é uma adição maravilhosa e um filme que merece ser o 50° clássico dos estúdios Disney. Fica devendo um pouco ao estupendo A PRINCESA E O SAPO, mas é interessante notar que a disparidade entre os filmes não tem nada a ver com a técnica empregada (CGI ou 2D). ENROLADOS é maravilhoso em CGI e é impossível imaginar como ficaria desenhado á mão (cabelos!!!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai fazer um comentário obrigada, mas antes leia isso:
Não aceitamos mais parcerias, e nem afiliação, nem adianta insistir!
Não retribuo comentários assim: 'Seguindo, segue de volta?';. Se eu gostar sigo se não, não.
Eu modero os comentários, e de forma alguma eu vou aceitar palavrões, e criticas que NÃO SEJAM evolutivas.
Pode criticar, mais de uma maneira evolutiva.
Mais dúvidas olhe a F.a.q